1 - A VIOLÊNCIA NÃO SILENCIARÁ O POVO

 

O fotograma do filme "O Couraçado Potemkine"impresso nas costas de um colete amarelo com uma mulher ferida no olho na escada de Odessa inspirou este primeiro intervalo sobre a repressão que se abateu contra o movimento dos Coletes Amarelos em França. Depois de uma longa caminhada pelas ruas de Paris, a "escadaria de Odessa" torna-se neste primeiro intervalo o Parvis dos Direitos Humanos proibido aos manifestantes.

 

 

2 - CINEMA-OLHO (KINO-EYE/КИНО-ГЛАЗ)

 

Trocando o olho ferido pelo da câmara encenada, este segundo intervalo alude às teorias de Dziga Vertov sobre a edição e movimento entre imagens. Apesar de múltiplos pedidos para se proibir a  arma, muitas pessoas continuam a perder olhos ou a ficarem desfiguradas devido a tiros de LBD 40 pela polícia  Também outras perderam a audição ou foram mutiladas por granadas GLI F4. Este intervalo presta-lhes homenagem.

LETTRE_GJ_Génériquecopyright.png

3 - OUTRA PARTE DO MUNDO

 

O terceiro intervalo mostra os manifestantes no quotidiano como numa "sinfonia urbana". O cartazes imprimidos aparecem-nos como cine-pafletos do Maio de 68 contrastando com as provocaçoes insultusas do governo. Se para estes proletários, o colete amarelo é uma ferramenta de trabalho obrigatória, a luta é pelo futuro e os filhos serão os resistentes de amanhã.